sábado, 30 de outubro de 2010
















Sei que o tempo pode ser carrasco de quem o teme.
Descobri na longa madrugada, em que desperta iludia o sono,
que havia momentos em que as horas
se esqueciam de contar os minutos.
Perdiam-se em visões narcísicas
do seu poder sobrenatural.
Por entre enganos e desenganos roubei o néctar
que me permitia dar mais vida aos anos.
E os destroços ergueram-se em forma de flor.
História de estórias que só as rugas proporcionam.

27 comentários:

  1. Viver com outro olhar, com outra certeza...
    Descobrir a beleza que existe com serenidade....
    Que haja sempre flores para que nunca se esqueça o cheiro...
    Lindo...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  2. Vadio ou não vadio... bom registo, fiquei impressionado com a beleza desse céu.

    Bjoooo

    ResponderEliminar
  3. Somos todos nós capazes de dar mais vida aos anos, a nós mesmos.

    Beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Esse belo (re)canto da bonita vila medieval de Óbidos também já deve ter proporcionado muitas 'estórias'...!
    Belíssima foto de uma vila que só ainda visitei uma vez, mas, que ficou uma grande vontade de lá voltar e poder apreciar todos os seus cantos e recantos...:)
    Bjocas

    ResponderEliminar
  5. Mas as rugas não irão apagar a beleza da foto e nem da poesia. Beijophoto

    ResponderEliminar
  6. O tempo só é inimigo de quem está preso a ele. Quem aproveita a vida sem olhar para o ponteiro das horas é bem mais feliz. Eu ando a tentar ser um desses...

    ResponderEliminar
  7. tamen a min me deixa abraida ese ceo...

    bicos

    ResponderEliminar
  8. Um tratado extremamente racional do/sobre o tempo. Mas que necesita da poesia para não sucumbir ao tempo, antes do tempo.

    E ainda existem as linhas, a geometria, o arco da foto-poema. Soberbo, mais uma vez!

    Beijinhos!!

    ResponderEliminar
  9. Bela fotografia...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  10. NADA NEM NINGUÉM ESCAPA AO DURO DESTINO DA EROSÃO...DA OXIDAÇÃO...

    ResponderEliminar
  11. Que esse tempo nos seja amigo o mesmo tanto em que é implacavel...beijos de bom dia pra ti.

    ResponderEliminar

  12. Es na buena foto de un bonito rincón ¿en el Algarve?

    beijos

    CR & LMA
    ________________________________

    ResponderEliminar
  13. *
    belos olhares !
    parabens,
    ,
    conchinhas,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  14. belissíma foto para emoldurar a beleza da poesia!
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Um doce embalar...
    Acho de bom gosto e excelência.
    Bjs

    ResponderEliminar
  16. Um minuto
    o tempo muda tudo.
    O Homem tenta fazer tudo bem mas...será que consegue?


    Um BEIJO

    ResponderEliminar
  17. ...que só as rugas proporcionam, sim, a sabedoria vem com o tempo.
    beijo!

    ResponderEliminar
  18. Parece Óbidos... "cidade" muralha da qual sinto tanta saudade... Excelente foto. Beijo

    ResponderEliminar
  19. A sabedoria do tempo confunde-se com o tempo da sabedoria... são mais as estradas percorridas, os caminhos andados e mais desperta a intuição...

    ResponderEliminar
  20. O tempo é feito de enganos e desenganos.

    ResponderEliminar
  21. roubar o néctar. até à última gota.

    belo.

    beijos

    ResponderEliminar
  22. Nas rugas: a sabedoria da vida.

    Uma belíssima foto!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  23. Por favor, passe pelo meu cantinho, post do dia 7/11, dedico-lhe um miminho, através de si das suas belas e ricas palavras em forma de poema, tenho visto vidas, sentimentos, modos de ver ... que me fazem agir, que mexem comigo.
    Abracinho meu!

    ResponderEliminar
  24. Agora é o tempo de acabar
    com as capelas imperfeitas
    e de sarar estigmas da leitura persistente
    do olhar, quase só olhar pensado,
    ainda que a braços com a memória
    desenhada da alma a preservar.

    Agora é o tempo de rasgar a fábula caduca
    de Fénix das cinzas renascida,
    aprendida num começo já remoto, e
    espalhar a sorte
    em pacato silêncio, serenamente,
    nas cicatrizes do tempo sem lágrimas
    pela fractura do gesto restaurador.

    Agora é o tempo de aprumar,
    sem despotismo, a razão extenuada,
    e envergar a liberdade do fado
    despindo a causa convertida obsoleta.

    Agora é o tempo de juntar
    as mil e uma sombras da casca embaraçosa,
    que se azulava persuadida da luz,
    até transformar a seiva em leite e mel.

    Agora é o tempo de embalar
    as mãos na carícia obstinada do pincel
    que espalhe tinta na luz, do sol faminta,
    e de matar a teia da noite
    surpreendida do habitar só a aldeia imensa.


    Querida amiga, boa semana.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  25. O tempo pode ser um verdadeiro carrasco, se o deixarmos, impedindo-nos de viver o presente, seja por estarmos presos ao passado, seja por termos medo do futuro, seja porque queremos lutar contra ele, seja porque ele nunca parece estar a nosso favor, ou porque voa quando queremos que páre, ou porque pára quando queremos que voe.
    Se o tempo é imutável, um segundo é sempre um segundo, uma hora tem sempre os mesmos minutos, se ele não muda, talvez sejamos nós os únicos que podemos mudar.

    Mais uma vez...lindo, o poema; linda, a foto.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  26. O tempo é um senhor de gestos fartos e mãos perversas.

    ResponderEliminar

um minuto
uma palavra
uma presença
obrigada