sábado, 16 de outubro de 2010











perco-me com mestria
na geometria da razão.
penso na geografia da dor
habitante clandestina nesta fotografia
que corta e desfia a preto e branco
fiapos de uma falsa alegria.

soltam-se as amarras e os nós
cala-se o grito desta voz
desfazem-se as paredes erguidas em nós
elevo-me aos céus
para que o paraíso se reinvente
...aí onde as tuas mãos procuram
as impressões digitais das minhas.
e peço-te em surdina, vencido o medo:
"ensina-me a voar dentro de ti".

30 comentários:

  1. Vencido o medo eu gostaria de dizer em surdina: ensina-me a voar ao teu lado!Entendo o voar dentro de mas...também não desejo tanto!
    Este poema tocou-me de um modo diferente do habitual.

    ResponderEliminar
  2. O paraíso reinventa-se e aprendemos a voar quando amamos....
    Boa foto...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  3. Outas vez, belas imagens, as poéticas e as geométricas. Todavia a frase, "ensina-me a voar dentro de ti", causo-me voos d' além mar, dentro de mim mesma.

    Beijos e ótimo domingo!

    ResponderEliminar
  4. "ensina-me a voar dentro de ti". Bom demais!!!

    Beijos de passarinho!!!

    ResponderEliminar
  5. Bela fotografia...Espectacular....
    Cumprimentos

    ResponderEliminar
  6. JÁ NEM OS CÉUS NOS SALVAM...NEM PARAÍSOS INVENTADOS,NEM UM LUGAR PARA ONDE POSSAMOS VOAR...E FUGIR

    ADOREI A FOTO E O POEMA

    ResponderEliminar
  7. E como a geometria vai bem com a poesia!!!!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. E seria um óptimo vôo cladestino...:-)
    Boa semana!
    Beijocas,
    AA

    ResponderEliminar
  9. Essa geometria não é paralela, as linhas se encontram na geometria da poesia e foto espetacular! Beijophoto

    ResponderEliminar

  10. Una gigantesca rueda de bicicleta que siempre nos lleva al mismo lugar. El lugar donde vemos tus estupendas fotos.

    beijos

    CR & LMA
    ________________________________

    ResponderEliminar
  11. "voar dentro de ti"...
    é o desejo de quem ama.

    Conjunto harmonioso: foto e poema.

    Bjins

    ResponderEliminar
  12. Que esse ensinamento seja sempre possivel.

    BeijinhoS*

    ResponderEliminar
  13. "Ensina-me a voar dentro de ti".
    Sem palavras. Lindo demais!

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  14. Londres versão "à la minute"????

    Beijo imenso

    ResponderEliminar
  15. Volto aqui para reiterar a beleza desse poema!

    Beijo!

    ResponderEliminar
  16. Que seja reinventado o amor,,todos os sonhos e desejos,,,beijos de bom dia.

    ResponderEliminar
  17. esperei tanto este voo, nao acreditei quando ele finalmente me ensinou pareço aquele pequeno passaro desajeitado aprendendo a voar...
    beijo!

    ResponderEliminar
  18. Não vejo medo nesta fotografia (que está fabulosa), mas sim um meio para voar.

    Beijoca!

    PS: quanto à tua questão, apenas uma resposta, ser sempre fiel a si mesmo, no matter what (não sei porquê soa melhor em inglês)

    ResponderEliminar
  19. Dame envexa a xente que sube a noria, pero e que eu agora padezo de algo de vertigo... mmmmm que magoa!

    A fotografia e estupenda, e o poema, fermoso como sempre.

    Bicos

    ResponderEliminar
  20. acho que nunca li uma frase tão linda. também queria aprender esse voar...

    perfeito.

    ResponderEliminar
  21. Queria andar nisso, mas não sei se conseguiria. Acho que as minhas vertigens, não o iriam permitir. :-)

    ResponderEliminar
  22. Primeiro temos que perder o medo...para depois poder mos voar...livres...felizes...
    Beijo d'anjo

    ResponderEliminar
  23. Ensina-me a voar dentro do teu coração... que seja assim, sempre.

    ResponderEliminar
  24. Nas asas do desejo...
    Bjs

    ResponderEliminar
  25. muito bem. poema muito sugestivo. inscrito com grande mestria. na roda da Vida!

    beijos

    ResponderEliminar
  26. A excelência do teu poema é mais que evidente.
    O final é de mestre.
    Parabéns, querida amiga.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  27. e roda, roda e não saímos dali mas giramos, giramos e parece que voámos ao céu! belo poema :)

    ResponderEliminar
  28. *
    a Nora,
    sem poço !
    ,
    brisas rodadas ,
    ,
    *

    ResponderEliminar
  29. A roda...! A roda que, sem nos levar a qualquer lado tanto pode fazer-nos sofrer ou amar, como matar!
    A roda cheia de vida, de onde tudo vemos e nada podemos agarrar!
    Quero voar... em liberdade... na roda...

    ResponderEliminar

um minuto
uma palavra
uma presença
obrigada