sábado, 9 de outubro de 2010




























parece perfeito o mundo
nos seus quadrados e janelas por abrir.
...nada feito!
está ao avesso e vestido de contrasenso
assim se apresenta para a festa:
rei nú
artista renegado
...foge-me
a realidade
nesta inverdade
sem dono
nas malhas do sono
onde esqueço
e aqueço.
...ofereço este mundo
parvo, ignóbil e imundo
dá-me em troca
três palmos desse corpo
onde me escondo e deturpo
as pérfidas mensagens
que se prendem a mim como colagens
quero, quero-me, quero-te
longe... onde existe
esta cruz em riste
pronta a atacar convenções
certezas e outras invenções.
troco este pedaço de Terra
por esse vazio onde a vida encerra.

25 comentários:

  1. abraço
    grato pela visita.

    voltarei. certamnte

    ResponderEliminar
  2. Ás vezes, sentimo-nos verdadeiramente sozinhos...
    Sem redenção, sem esperança....
    Belo texto e foto adequada...
    Beijos e abraços
    Marta

    ResponderEliminar
  3. gostei do poema.
    revela intensidade. e inquietação
    beijos

    ResponderEliminar
  4. PARECE PERFEITO...EXACTAMENTE...OS QUADRADOS E AS JANELAS ...COM GENTES LÁ DENTRO ,ESCRITÓRIOS,MORADIAS...ESCONDEM SEGREDOS TORPES,MUNDOS CAVERNOSOS E SOMBRIOS,VERDADES SINUOSAS,DERRAPADAS PELO MISTÉRIO DAS MENTIRAS E PELAS CONVENÇÕES,ESSES ARGUMENTOS QUE SÃO JOGADAS MALABARISTAS NUM MUNDO CADA VEZ CHEIO DE COISA NENHUMA...SALVE-SE QUEM PUDER

    UM POEMA INTENSO,PERTURBADOR E VERDADEIRO

    ResponderEliminar
  5. Muitas vezes queremos trocar a dura realidade por algo mais palpavel..mas sereno...beijos de boa semana.

    ResponderEliminar
  6. e conhecemos esse real vazio?


    beijo

    ResponderEliminar
  7. uma troca que todos nós um dia pedimos.

    Beijinho, e uma optima semana*

    ResponderEliminar
  8. Foto e texto... Perfeitos! Gostei da perspectiva dada ao edifício e ao candeeiro...
    Beijinhos e uma boa semana!

    ResponderEliminar
  9. Quando abro a minha janela fecho em seguida e vou para rua sem pensar naquilo que me dói. Foto magnífica e o poema é muito bem escrito e sentido aposto.

    ResponderEliminar
  10. Há trocas que de tanto se desejarem acabam por se fazer.
    Belo poema.
    (E sim, o Mundo precisa que lhes troquemos os vazios..;-)

    Beijo

    ResponderEliminar
  11. Um poema actualidade.
    Mundo oco que nos emperra.

    Bjos

    ResponderEliminar
  12. Um dia de paz pra ti querida....beijos.

    ResponderEliminar
  13. Passando para uma visita a seu nobre espaço de reflexão. Paz e harmonia.

    forte abraço

    C@urosa

    ResponderEliminar
  14. Troca desejada por muitos...
    Beijo d'anjo

    ResponderEliminar
  15. Belo poema, inquieto, tal como o mundo.
    A foto, fantástica!!

    Beijinhos

    ResponderEliminar

  16. Una imagen llena de colmenas que habitamos... y una luz que nos desafía, para que encontremos el sentido de la existencia.

    un beijo

    CR & LMA
    ________________________________

    ResponderEliminar
  17. A perfeição num mundo imperfeito de perfeição.
    Adorei o enquadramento e ângulo dado à fotografia.

    ResponderEliminar
  18. Um minuto
    Tenho sentido saudades...

    E Hoje é sempre um belo dia para começar de novo...

    beijoos para ti

    HOJE


    Hoje, é mais um dia.
    Mais um que vem e que vai
    E amanhã o dia amanhece de novo
    Mas... igual a tantos outros...

    Esperamos com ansiedade
    Que o dia mude rapidamente
    E se transforme em algo diferente
    E em que nós possamos sentir essa diferença...

    Diferença em tudo o que nos rodeia
    Em tudo que existe à nossa volta...
    E consigamos nessa diferença...
    Sermos sempre iguais...
    E sermos sempre... "mais nós"...

    LILI LARANJO

    ResponderEliminar
  19. Está mesmo muito zangada com o mundo! Estamos...e cheios de razão. Não o poderemos ajudar a mudar antes de pensarmos em trocá-lo?
    Abracinho

    ResponderEliminar
  20. O mundo como belo Lego que é, só representa o que nele construimos... tem desta forma, algo de verdadeiramente humano...

    Beijo

    ResponderEliminar
  21. "...ofereço este mundo
    parvo, ignóbil e imundo
    dá-me em troca
    três palmos desse corpo
    onde me escondo..."
    Belo poema, querida amiga.
    Gostei das tuas palavras. Muito bom, parabéns.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  22. belíssimo texto e perfeitamente ilustrado.
    Bjs

    ResponderEliminar
  23. Impactante! Li o poema até perder o fôlego e permaneci sem, até seu desfecho final!
    Uma denúncia das (im)perfeições desse mundo que nem sempre controlamos, e nem sempre pactuamos, mas que somos a parte inesgotável das surpresas, tanto quanto o desenrolar desse poema.

    Beijo grande!

    ResponderEliminar
  24. a foto está espectacular e as palavras acertadíssimas! :)

    ResponderEliminar

um minuto
uma palavra
uma presença
obrigada